PLAYLIST

domingo, 17 de setembro de 2017





POR MOTIVO DE VIAGEM, AS POSTAGENS DO BLOG MICHAEL SIRIANO FICARÃO SUSPENSAS ATÉ O DIA 4 DE OUTUBRO.

RETORNAREMOS ÀS ATIVIDADES, EM 05 DE OUTUBRO.

GRATOS PELA COMPREENSÃO!

NAMASTÊ!

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

A DOR E O SILÊNCIO


MICHAEL BY STEVE MANNING

Primeiro de tudo, Michael Jackson era uma alma muito gentil. Um cara humilde. Como Jesus em espírito, porque cuidava e amava. Uma pessoa verdadeira. Ele era um cara muito humilde. Para todo o seu sucesso, ele era muito, muito gentil.
[...]
Sua maior fraqueza? Ser gentil, confiar nas pessoas. Ele confiou em pessoas e ele também acreditava em lealdade. Um monte de gente o traiu. Ele foi ferido por Hollywood também. As pessoas em Hollywood o traíram, eles viraram as costas para ele. Isso dói profundamente.
As pessoas poderosas em Hollywood, eu não vou citar seus nomes, viraram as costas para ele, o evitavam. Todos eles o evitavam como uma doença. Ele era sensível. Você não poderia encontrar uma pessoa que se preocupasse mais com o sofrimento alheio. E assim, ele tinha que perdoar.
Quando você é uma pessoa amável e um homem de Deus como ele, você perdoa. Ele acreditava que guardar rancor mantém você para baixo. Ele perdoava, mas ele não esquecia.
Ele me pediu para voar para a Flórida (no dia) 07 para falar com ele. Então, eu voei para a Flórida naquela noite. Seu irmão me pegou no aeroporto e Michael sentou-se até por volta de três horas da manhã e ele falou sobre como Hollywood o maltratou e eu podia ver e ouvir a dor em sua voz, sobre essa situação, e eu disse a ele:
''Você tem que superar. Mike, vamos fazer como estamos habituados a fazer. Vamos saltar para a estrada e vamos mostrar para eles."
by Steve Manning (Gerente de Tito Jackson)

Michael e Steve Manning

________________________

Fontes:http://jeffmarren.com/Legendary/Manning_0512.html
http://www.positivelymichael.com/forums/archive/index.php/t-13306.htmlSeptember 2009- Ebony Magazine Commemorative Issue- Michael: Our Icon
http://www.reflectionsonthedance.com/Michael-s-Friends-on-Michael.html
http://cartasparamichael.blogspot.com.br/2013/01/steve-manning.html


quarta-feira, 13 de setembro de 2017

CORAÇÃO MENINO E HUMANITÁRIO 


Era 7 de março de 1973...
Leslie Robinette, uma garotinha de apenas 6 anos de idade, portadora de anemia aplástica, havia acabado de ser submetida a um transplante de medula óssea (àquela época, ainda um procedimento experimental) e sofria de depressão pós-cirúrgica; afinal, ela estava magra, com pouco cabelo, estômago inchado e teria que passar três meses em isolamento. Apenas sua mãe tinha autorização para vê-la e os médicos estavam desesperançados com relação à sua recuperação.
"Depois de passar por tudo isso, você está apenas cansada e querendo ir para casa, é uma forma de parar de lutar", disse Robinette.
Como consolo, ela ouvia as músicas de sua banda preferida: “Jackson Five”, em uma plataforma giratória estéril que os médicos permitiram colocar na sala.
"Eu estava sentada no meu quarto, olhando pela janela, ouvindo curiosamente ‘Looking out the window’ do Jackson 5, quando ouvi as enfermeiras disponíveis enlouquecerem e fazerem um alvoroço", conta ela. Olhou através do vidro que era a sua única conexão com o hospital movimentado e viu o Jackson 5 lá. "Eles me perguntaram qual deles eu queria ver e disse que Michael era o mais bonito", lembra rindo.
De repente, uma mão conhecida, mas sem as tradicionais luvas brancas de lantejoulas se estendeu, pegou sua mão e perguntou como ela estava. "Há tão longo tempo assim desde que toquei alguém sem luvas. E eu vi o cabelo em vez de apenas um chapéu verde com os olhos espiando".
Leslie descreveu Michael como um jovem rapaz, obviamente, incrivelmente tímido, mas simpático e sincero, que lhe deu carinho e uma foto autografada.
Após a visita, Leslie Robinette começou a melhorar, para espanto e alegria dos médicos e da família.
"Eu não diria nunca que ele salvou sua vida, seria louco, mas voltou um pouco do seu desejo de viver, que ela tinha perdido", disse Trine Robinette, 49, irmã de Leslie.
Finalmente, a pequena Leslie melhorou e voltou com a família para sua fazenda em Greenville, Tennessee, onde ainda mora com seus pais.
Aos 17 anos, Robinette encontrou Michael Jackson novamente, em agosto de 1984. E recebeu ingressos gratuitos para assistir aos três concertos da Victory Tour, no Estádio Neyland, em Knoxville.
Na terceira noite, ela pode ir aos bastidores conhecer todo o Grupo. Michael levou-lhe um cartão de aniversário feito à mão. "Perguntei-lhe se ele se lembrava de mim e ele disse que sim. Falamos sobre o coro onde eu cantava e quanto tempo levaria para me livrar do colete lombar (por doença)", disse Robinette.
Leslie assistiu ao terceiro concerto em um camarote VIP, ao lado de Katherine Jackson, como convidada de Michael.


Quando deixou o Hospital Infantil de Seattle, três meses após primeiro encontro com Michael, os médicos disseram que Leslie Robinette poderia viver 10 anos. Ainda lutando contra sua doença, e com menos de 1,20 m e cerca de 27 Kg, ela tem agora 42 anos e uma vida ativa.
Como Michael Jackson tem uma forte afeição por animais, Leslie está envolvida com a NARHA (Associação Norte-Americana para a equitação com mobilidade condicionada), uma associação sem fins lucrativos, com sede em Denver (Colorado), que promove os benefícios da terapia com cavalos para indivíduos com deficiências físicas e mentais e está, atualmente, preparando-se para ser uma instrutora. 

_____________________
Fontes:
http://www.theking.com.br/forum/showthread.php?t=5837&page=3
http://mjhideout.com/forum/labor-humanitaria-de-michael-jackson/107857-leslie-robinette-y-visita-de-michael-1973-a.html
http://michaeljacksoniloveyoumost.blogspot.com.br/2011/12/historia-de-leslie-robinette.html
http://www.mj-777.com/?p=7558
http://cartasparamichael.blogspot.com 

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

AMOR, INCANSÁVEL AMOR! 


Dentre os muitos problemas que afligiram a família Jackson na produção da Victory World Tour, Katherine ressalta um momento de beleza e generosidade de seu filho Michael.
“Tudo somado foi uma experiência traumática para Michael. Mas algo de bom, finalmente,  veio disso: o Michael Jackson Burn Center.
Michael teve a ideia de emprestar seu nome à unidade de queimados do Brotman Hospital, depois de visitar alguns de seus pacientes companheiros com queimaduras. Ele foi às lágrimas vendo como alguns deles ficaram terrivelmente feridos, e ele queria fazer algo para ajudar.
Quando ele contou seus desejos à Pepsi, a empresa - que, tenho certeza, foi se preparando para um processo de Michael, algo que Michael nunca fez - foi muito feliz em doar um milhão e meio de dólares para o centro. Nascia o Michael Jackson’s Burn Center”.

Fonte: "My Family, The Jacksons - Katherine Jackson with Richard Wiseman, 1990 (Tradução: Rosane Sune - Blog "Cartas para Michael) 

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

A ESSÊNCIA DE UM SER DE LUZ
  

MICHAEL, BY KATHERINE JACKSON

“Michael é incrível. Eu não estou dizendo isso porque ele é meu filho; eu realmente o vejo dessa forma.
Quando ele está com uma celebridade, ele ‘cresce’ para a sua idade (discute política, filosofia, arte, racismo, a guerra, a fome...). Mas, então, ele tem a sua loja de doces e sua coleção de bonecos, e ele rola no chão com seus sobrinhos e sobrinhas como se ele fosse uma criança. Ele é jovem. Ele é maduro. Como eu disse, ele é incrível”.

Fonte: "My Family, The Jacksons - Katherine Jackson with Richard Wiseman, 1990 (Tradução: Blog "Cartas para Michael) 

     
                               Michael e Bill Clinton    -       Michael e Jimmy Carter      

      
Eterna Criança